Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa

01 Dezembro 2019
550x1400px kabalevsky e joly braga santos metropolitana 1 1024 2500

Música // M/6 // Duração 75min // Gratuito

ROMEU MADEIRA, NONNA MANICHEVA (violinos), JOANA NUNES (viola), NUNO ABREU (violoncelo)



D. Kabalevsky Quarteto de Cordas N.º 1, Op. 8

J. Braga Santos Quarteto de Cordas N.º 2, Op. 27

Pedro Meireles, Nonna Manicheva (violinos), Joana Nunes (viola), Nuno Abreu (violoncelo)

Dmitri Kabalevsky (1904-1987) – Quarteto de Cordas N.º 1, em Lá Menor, Op. 8 (1928)
I. Andante - Allegro moderato
II. Scherzo
III. Andantino
IV. Allegro assai

Joly Braga Santos (1924-1988) – Quarteto de Cordas N.º 2, em Lá Menor, Op. 27 (1957)
I. Largo - Allegro moderato
II. Adagio molto - Andante con moto
III. Largo - Allegro motlo vivace

O segundo quarteto de cordas de Joly Braga Santos foi escrito em 1957, em Milão, cidade onde o compositor permaneceu durante dois anos para frequentar cursos de aperfeiçoamento. Contava então 35 anos de idade e já havia composto 4 das 6 sinfonias que completou até ao final da vida, em 1988. É uma das obras que encerram a primeira das duas fases que dividem o seu percurso artístico. Apresenta, por isso, um estilo eminentemente clássico. Apesar de se limitar a três andamentos, nele predominam estruturas clássicas com recorrência temática e melodias que florescem com genuína naturalidade da música tradicional portuguesa. Junta-se-lhe neste programa um outro quarteto de cordas da autoria de um dos compositores mais representativos do regime soviético, Dmitri Kabalevsky.

Não se estranhe, porém, uma evidente afinidade entre as duas obras. Tal como Braga Santos, também o compositor russo compôs somente dois quartetos. Mas coincidem noutros aspetos mais substantivos. Para lá da linhagem clássica, sobressai a inspiração em práticas musicais populares, o que em ambos conduz às características sonoridades modais. Neste seu primeiro quarteto de cordas, composto em 1928 – uma obra de juventude, portanto – distinguem-se várias melodias que não disfarçam a origem, em particular nos segundo e último andamentos.

 

Informações: Tel.: 21 232 78 82 | E-mail: ctja@mun-montijo.pt  | De terça a sábado: 16h30 - 21h30

Horário:

16h00

Local:
Cinema-Teatro Joaquim d'Almeida

Município do Montijo © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo w3camrs logotipologotipo wiremaze