Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Aniversário Companhia Mascarenhas-Martins

550x1400px  aniversario companhia mascarenhas martins 002 1 1024 2500
2019/01/07

A Companhia Mascarenhas-Martins comemora o seu quarto aniversário no dia 12 de janeiro, sábado, na Galeria Municipal do Montijo. Às 16h00 terá lugar a conversa "Cultura e Progresso", com o Ateneu Popular de Montijo. Às 21h30, André Reis, Inês Monteiro Pires e Levi Martins apresentam o concerto "Oitentas". A entrada é livre.

“Cultura e Progresso” é o que está inscrito na insígnia do Ateneu Popular de Montijo, entidade que em 2019 vai comemorar o seu 80.º aniversário e que a Companhia Mascarenhas-Martins convidou para conversar, na sequência de um convite feito no sentido inverso a 27 de outubro de 2018. A reflexão centrar-se-á na história de uma coletividade com um lugar importante no desenvolvimento cultural do Montijo, que começou pelo ensino do Esperanto e passou por um conjunto vasto de iniciativas, incluindo cineclube, exposições e a prática do xadrez.

“Oitentas” é o título do concerto com que este ano se assinala o aniversário da estrutura de produção artística e cultural sediada no Montijo, depois de concertos dedicados às “Canções da Revolução” e às “Canções do Festival”. A partir de repertório português dos anos 80, André Reis, Inês Monteiro Pires e Levi Martins propõem revisitar uma década que costuma dividir opiniões. Tal como em concertos anteriores, a Companhia Mascarenhas-Martins propõe desta forma dar continuidade a um dos seus objetivos: promover o contacto com a cultura portuguesa através das suas diferentes manifestações.

O evento tem o apoio da Câmara Municipal do Montijo e da Junta de Freguesia da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro.

Fundada a 6 de janeiro de 2015, a Companhia Mascarenhas-Martins tem desenvolvido trabalho em diversas áreas artísticas e culturais. No ano de 2018 produziu os espetáculos de teatro Um D. João Português (coprodução com Teatro Viriato e Centro Cultural Vila Flor) com encenação de Luis Miguel Cintra, apresentado em Guimarães, Viseu, Setúbal, Montijo e Almada, e O Medo de Existir, com texto e encenação de Maria Mascarenhas, com apresentações em Montijo, Coimbra e Alverca (coprodução com Cegada Grupo de Teatro). Organizou ainda duas conversas, apresentou quatro concertos, fez uma leitura encenada, publicou, em parceria com o Centro de Estudos de Teatro, o livro Criar e Produzir/Creating & Producing e deu início ao processo de trabalho de uma nova produção com o título de trabalho Crise.

Município do Montijo © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo w3camrs logotipologotipo wiremaze