Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Moinho de Maré

imagem

Ainda que a primeira referência documentada do moinho do Cais de Aldeia Galega/Montijo seja de 1646, a existência de uma cruz da Ordem de Santiago, hoje visível no lintel da porta de entrada, atesta a sua existência anterior.

Até finais do séc. XIX o moinho do Cais manteve-se na posse da mesma família, sucedendo-se outros proprietários durante o séc. XX. Tornou-se propriedade municipal em 1995, tendo a Autarquia assumido a preservação – recentemente concretizada - deste ícone da História Local que sintetiza uma relação intensa, de vários séculos, entre a atividade agrícola e o rio.

É ao fluxo e refluxo das águas do Tejo que o moinho vai buscar a sua fonte de energia. Associados a este recurso natural, existem, como é visível no moinho do Cais, o edifício e a caldeira; no primeiro estão localizados os engenhos, na segunda é armazenada a água necessária para ativar o mecanismo de moagem.

Novas tecnologias vieram substituir progressivamente o processo tradicional de transformação dos cereais, tendo originado o gradual abandono do moinho. No início dos anos 80 o imóvel encontrava-se em elevado estado de degradação.

 
 
 
Frente Ribeirinha
Tel.: (+351) 21 232 78 67
Email: cultura@mun-montijo.pt
 
Horário
3.ª e 5.ª das 14h00 às 17h30
Sábado e Domingo das 14h30 às 18h00 
 
 

 

Município do Montijo © 2015 | Todos os direitos reservados

logotipo w3camrs logotipologotipo wiremaze